Fundação Dom Cabral
00A1BE FFFFFF
 

Publicação

Impacto de private equity na gestão do ciclo financeiro de startups.
Buscar apenas publicações disponíveis para download
Baixe o pdf https://ci.fdc.org.br/AcervoDigital/Disserta%C3%A7%C3%B5es%20FDC/MPA%202020/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Daniel%20Jos%C3%A9%20Magalh%C3%A3es%20Santeiro.pdf Baixe o Abstract  

Impacto de private equity na gestão do ciclo financeiro de startups.

2.020 2020.  103 f. SANTEIRO, Daniel José Magalhães. Dissertações FDC Santeiro, Daniel José Magalhães SANTEIRO, Daniel José Magalhães. Startups são empresas jovens que têm modelo de negócio voltado à inovação, com alto risco de insucesso (tecnologia disruptiva e elevadas taxas de mortalidade), que se traduzem também
em um alto prêmio de risco, que dificulta sua precificação. Em paralelo, observa-se um mercado
brasileiro resiliente e consistente de fusões e aquisições de startups por empresas maduras, que,
na tentativa de obter vantagem competitiva (diferencial competitivo diante de seus players), o
acesso à tecnologia e inovação pode se traduzir em novos produtos e serviços capazes de
agregar valor à companhia. Entende-se que, ao adquirir tecnologia e novos produtos ou
serviços, a empresa adquirente também poderá apresentar melhora na gestão financeira de caixa
e indicadores de lucratividade, dado o retorno esperado desse perfil de ativo. Diante desse
cenário, o presente trabalho delimita sua hipótese metodológica de investigação, através da
pesquisa exploratória e do uso de regressões múltiplas, analisando o desempenho e a gestão do
ciclo financeiro (variáveis dependentes) de uma amostra de 6,9 mil empresas de capital fechado,
domiciliadas no mercado brasileiro, que realizaram a aquisição de startups (variável
independente) entre o período 2008 a 2018. Pretende-se demonstrar desta forma que as startups,
além de agregarem novas tecnologias, podem também se caracterizar como um bom
investimento, dado o retorno financeiro esperado. Ao observar o p-valor obtido nas regressões
realizadas, pode-se concluir que não houve correlação entre as variáveis dependentes, ou seja,
sob a ótica de melhoria de performance financeira e gestão ciclo financeiro, startups não se
provaram um bom investimento. Fatores como dificuldade de precificação, ausência de modelo
assertivo de valuation, assimetria de informações, conflito de agência ou a própria performance
dos produtos ou serviços podem ter influência nos resultados obtidos, que foram discutidos e
contextualizados com a bibliografia sobre o tema. Recomenda-se, então, maior aprofundamento
na amostra dos M&As realizados, como sugestão de estudo futuro, avaliando metodologia de
valuation, eventuais fatores que influenciaram negativamente a sinergia durante a incorporação
da startup e, por fim, uma reflexão sobre as empresas adquirentes, sobre o desenvolvimento interno de novas tecnologias em detrimento das aquisições de empresas, como as startups, dado seu elevado prêmio de risco
Português Documento Eletrônico